Sovaco da Cobra – 6 a 8 março de 2013

O disispero da fessora

 

A professora pergunta:

 

– Wandercleison, diga aí um verbo.

 

– Bicicreta.

 

– Não é bicicreta… É bicicleta! E bicicleta não é verbo.

 

Depois, perguntou ao segundo aluno:

 

– Helvispresli, diga aí um verbo.

 

– Prástico.

 

– Não é prástico… É plástico! E plástico não é verbo.

 

A professora, desesperada, perguntou ao terceiro aluno.

 

– Janedílson, diga aí um verbo.

 

– Hospedar.

 

– Muito bem, até que enfim! Hospedar realmente é um verbo!

 

Agora diga-me uma frase com o verbo que escolheu.

 

– Hospedar da bicicreta são de prástico!…

 

Rumo a Miami

 

Dez cubanos abandonam a ilha rumo a Miami.

 

Um velho adoece gravemente em pleno mar. O seu último desejo é beijar uma bandeira de Cuba.

 

Não havia bandeira no barco, mas uma linda jovem vê o sofrimento do velho e revela que tinha a bandeira cubana tatuana na bunda.

 

A moça virou-se de costas para o moribundo, baixou as calças e mostrou a bunda com a bandeira tatuada.

 

O velho agarrou a moça com força e beijou a bandeira, emocionado, e gritava:

 

– Mi querida Cuba, me despido con recuerdos, mi vieja Havana, mi linda tierra!

 

O velho continuou com beijos e mais beijos na bandeira, até que, em lágrimas, disse à moça:

 

– Ahora vira de frente, que quiero despedir-me de Fidel!

 

A raça humana

 

Uma garotinha perguntou à mãe:

 

– Como a raça humana surgiu na terra?

 

A mãe respondeu:

 

– Deus fez Adão e Eva e eles tiveram filhos, que também tiveram filhos e assim é até hoje.

 

Dois dias depois, a menina fez a seu pai a mesma pergunta. O pai respondeu:

 

– Muitos anos atrás surgiram os macacos a partir dos quais a raça humana evoluiu.

 

A menina confusa foi até a mãe:

 

– Mãe, como é possível que você me disse que a raça humana foi criada por Deus, e papai disse que ela evoluiu a partir dos macacos?

 

A mãe respondeu:

 

– Bem, querida, é muito simples. Eu te disse sobre o meu lado da família e seu pai lhe contou sobre lado da família dele.

 

Deslocamento de órgão

 

Dois amigos bebuns. Um diz pro outro:

 

– Você está com aspecto horrível! Está doente?

 

– Sim, estive no médico e ele diagnosticou deslocamento de órgão.

 

– Deslocamento de órgão? Nunca escutei falar. O que é isso?

 

– Ele disse que meu fígado foi pro saco!

 

Marido cansado

 

Um dia, um homem, cansado de ouvir a mulher reclamar e não ser reconhecido por tudo que fazia, disse que ia na esquina comprar pão… e desapareceu.

 

Ficou dez anos desaparecido.

 

Um dia, de repente, reapareceu. Bateu na porta, a esposa foi abrir, e lá estava ele. Dez anos mais velho, mas era ele. Quieto, parado à porta sem dizer uma palavra.

 

A esposa despejou sua revolta em cima dele:

 

– Seu isso! Seu aquilo! Então você diz que vai na esquina comprar pão e desaparece? Me abandona, abandona as crianças, fica dez anos sem dar notícias, me faz criar as crianças sozinha e ainda tem o desplante, a cara de pau, o acinte, a coragem de reaparecer deste jeito? Pois você vai me pagar. Fique sabendo que você vai ouvir poucas e boas. Essa eu não vou lhe perdoar nunca. Nunca! Entre, mas prepare-se para…

 

Nisso, o marido deu um tapa na testa e disse:

 

– PUTZ! Esqueci a manteiga! Já volto!

Related posts

Send this to a friend