Brasileiro cobrou US$ 6 mil de “clientes” para travessia em jet ski

Foto1 Andria Raposo Marte 1 Brasileiro cobrou US$ 6 mil de “clientes” para travessia em jet ski
Agentes do Corpo de Bombeiros resgataram a dominicana Andria Raposo Marte, que não sabia nadar e não trajava colete salva-vidas

Wanderson dos Santos Freitas tentou entrar clandestinamente nos EUA usando um jet-ski através da fronteira com o Canadá

Na manhã de quarta-feira (20), agentes da Patrulha da Fronteira (BP) prenderam Wanderson dos Santos Freitas quando ele tentava, de jet-ski, entrar clandestinamente nos EUA com duas pessoas. A prisão ocorreu depois que a embarcação ficou presa nas águas congeladas do rio Niágara, na divisa do Canadá e EUA.

“Os estrangeiros no jet-ski pagaram ao réu seis mil dólares ou concordaram pagá-lo seis mil dólares para que fossem levados até os EUA”, detalhou o promotor público assistente, Charlie Kruly.

“Esse caso está sendo levado muito a sério. Especialmente, levando em consideração o perigo a que os dois passageiros foram expostos. Nenhum deles tinha colete salva-vidas, a mulher no último banco do jet-ski não sabia nadar, eles foram informaram que a temperatura da água girava em torno de 32 graus Fahrenheit (0º Celsius)”, acrescentou.

Wanderson poderá ser condenado a até 10 anos de prisão e multa de US$ 250 mil. Os 2 passageiros também foram detidos pelos patrulheiros.

. Entenda o caso:

Wanderson estava entre as 3 pessoas avistadas por um agente da Patrulha da Fronteira (BP) dos EUA a bordo de um jet-ski a cerca de 50 (15 metros) a 60 pés (18 metros) da praia no Beaver Island State Park em Grand Island. Segundo o escritório da Promotoria Pública, o brasileiro tentava empurrar o jet-ski para longe da praia quando os 3 perceberam a presença do patrulheiro. A embarcação ficou presa no gelo. Wanderson e outro brasileiro caminharam sobre o gelo até a praia.

Uma mulher, natural da República Dominicana, foi resgatada por agentes da Grand Island Fire Company. Todos os três indivíduos foram detidos.

Conforme os promotores públicos assistentes, Charles M. Kruly e Jonathan P. Cantil, ambos responsáveis pelo caso, na quarta-feira (13), às 9 horas da manhã, um patrulheiro avistou um jet-ski preto com 3 ocupantes, sendo 1 mulher e 2 homens. Quando eles perceberam a presença do agente da BP, o piloto do jet-ski, Wanderson, enterou na água e começou a empurrar a embarcação para longe da praia. Ele continuou a bordo na tentativa de ligar o motor da embarcação, mas o jet-ski começou a soltar fumaça do cano de descarga. Após poucos minutos, o brasileiro acenou para o agente e aparentemente o jet-ski estava preso no gelo. O Departamento de Operações Marinhas & Aéreas foi acionado e seus agentes compareceram ao local.

Instantes depois, Freitas desceu do jet-ski, abandonando os 2 passageiros, e caminhou sobre o gelo até a praia. Quando os agentes perguntaram sobre a nacionalidade dele, o brasileiro respondeu que era “residente permanente do Canadá”. Além disso, Wanderson acrescentou que não portava nenhuma documentação que o permitisse entrar legalmente nos EUA. Em decorrência disso, ele recebeu ordem de prisão.

O outro indivíduo, o também brasileiro Ângelo Valentim Zuccolotto, também caminhou sobre o gelo em direção à praia. A mulher, Andria Raposo Marte, natural da República Dominicana, permaneceu no jet-ski e pareceu paralisada de medo. Pouco antes das 10 horas da manhã, agentes do Corpo de Bombeiro de Grand Island chegaram com um bote inflável até Andria e a levaram em segurança até a praia. Ela e Ângelo foram detidos e estão sujeitos a processos administrativos.

Na quinta-feira (14), Wanderson compareceu perante o juiz federal, Jeremiah J. McCarthy, e foi detido enquanto aguardava outra audiência na segunda-feira (18).

 

Related posts

Send this to a friend