Autobiografia – O Renascimento

Ao perceber que minha vida estava indo ladeira abaixo, resolvi botar o pé no freio e começar tudo de novo. Foi um renascimento. Uma vida baseada em “sexo, drogas e rock and roll” não poderia dar certo. Não daquele jeito, aos 5 anos de idade.

Meu interesse pelas gurias, despertado por uma vizinha estonteante de 4 anos e cabelos castanhos, teve que ser sufocado à base de banhos gelados e autoflagelação. A opção mais imediata para substituir aquele impulso natural, porém prematuro, seria o homossexualismo. Estudei a possibilidade, mas não consegui me entusiasmar com a idéia de me enroscar emocionalmente com um ser humano de pernas peludas, quando havia à disposição na natureza tantos espécimes de corpos torneados e pele de seda. Entrei então em processo de reclusão e me dediquei ao celibato.

Meu envolvimento com drogas passou por várias fases, até me fixar no consumo do chimarrão. Ilex Paraguariensis é uma árvore que produz uma folha, tipo a coca andina, com a vantagem de ser permitida pela Polícia Federal. Minhas experiências com drogas começaram com a sopa de aveia com ovo. Procura aí na internet, deve haver uma receita. Não há nada mais traumático para um guri do que sopa de aveia com ovo. Se você tem filho pequeno, sugiro uma dieta rigorosa dessa sopa quente, durante alguns meses. A criança vai ficar marcada pro resto da vida e não vai querer experimentar nada que não seja feijão com arroz.

Ao tentar imitar os movimentos de quadril de Elvis Presley, tive uma distensão muscular que me custou 2 semanas de aula. Durante a quarentena, assisti a Chubby Checker, na TV em preto e branco, lançando uma nova dança, o twist. Uma dança refinada, com passos delicados, própria para um guri sensível como eu, que sonhava em ser bailarino da Escola de Ballet da Dicléia, mas era proibido pelo pai.

Meu renascimento foi então a substituição do trinômio “sexo, drogas e rock and roll” por outros parâmetros, que eu julgava seriam mais adequados para construir uma existência cheia de virtudes: “abstinência, água mineral e twist”.

Consegui sobreviver em segurança, mas a vida ficou completamente sem graça.

Foi aí que começou a fase que eu chamo de Idade Média.

Related posts

Send this to a friend