Um cochilo no sofá…

Mas como é bom… A gente cochila, acorda e…

Bom, se a gente sonhou, acorda e… Nada! Poxa!

Se só cochilou e pensou… Bom… Nada? Mas como nada?

É que na maioria das vezes não se presta bem a atenção a nossa volta, ou ainda não se acordou direito e não sente nada a nossa volta.

Mas entre nós. Que um cochilo no sofá de vez em quando faz um bem! E como faz!

Este tal de cochilo nem sempre vem quando queremos. Pode nos pegar de surpresa e nos deixar envoltos em sonhos até mesmo reais. E é possível sonho real? Claro! Quem sabe não baste acordar e colocar o sonho em prática. O sonho real vive e lateja em nossas veias. E como faz também, um bem enorme a alma e ao coração. Dizem até que é como uma boa taça de vinho. Especial. Daquelas com sabor de quero outra. Ou tem algo melhor do que duas belas taças com o mais saboroso néctar dos deuses?

E porque estamos falando só do cochilo no sofá? Porque este não tem transito de mão dupla, embora possa trazer também acidentes inesperados no caminho. Acidentes? Que podem até assustar logo ao acordar, mas depois… Depois? Depois, é depois ora!

A grande verdade é que cochilar no sofá, é gostoso e faz bem. Nada melhor do que ele para nos fazer acordar para sonhos adormecidos, verdades esquecidas, vontades reprimidas e até mesmo, realizar desejos guardados no medo dos sonhos.

Mas nem pense que cochilar em outro lugar vai resolver.

Nada disso!

Alguns até desejam um cochilo a beira de uma gruta com uma cachoeira de água doce e cristalina.

Mas não adianta!

Só tem gostinho bom mesmo…

Um cochilo no sofá.

Antonio Jorge Rettenmaier, Cronista, Escritor e Palestrante. Esta crônica está em mais de cem jornais impressos e eletrônicos no Brasil e exterior. Contatos, [email protected]

Related posts

Send this to a friend