WSJ: Trump combinou pagamento de atrizes pornôs

Foto22 Stoermy Daniels e Donald Trump WSJ: Trump combinou pagamento de atrizes pornôs
Trump tem negado repetidamente ter tido envolvimento no pagamento de Stormy Daniels e Karen McDougal

O jornal publicou o artigo, alegando que o Presidente estava pessoalmente envolvido no esquema de pagamento de duas mulheres

Donald Trump estaria pessoalmente envolvido em arranjar dinheiro para uma estrela pornô que posou nua na revista Playboy, apesar das repetidas negações de que ele estava ciente dos detalhes, de acordo com um artigo bombástico publicado na sexta-feira (9). Na ocasião, o futuro presidente se reuniu com o antigo amigo David Pecker, editor do National Enquirer, na Trump Tower, em agosto de 2015, e perguntou a ele como o editor poderia ajudar em sua campanha, informou o Wall Street Journal (WSJ).

Pecker, diretor da American Media, a matriz do tabloide, se ofereceu para usar seu National Enquirer para comprar o silêncio das mulheres se elas tentassem divulgar supostos envolvimentos com Trump, publicou o jornal, citando informações descobertas por promotores federais em Manhattan (NY). Menos de um ano depois, Trump pediu a Pecker para anular a história da ex-modelo da Playboy, Karen McDougal, que disse ter tido um caso com ele em 2006, quando Trump era casado com sua 3ª esposa, Melania.

A American Media teria pagado US$ 150 mil para que McDougal ficasse calada e Trump, posteriormente, agradeceu a ajuda, relatou o jornal.

O artigo fornece passo-a-passo detalhes das negociações que levaram ao pagamento e outro para a atriz pornô Stormy Daniels com base no testemunho do ex-advogado de Trump, Michael Cohen e entrevistas com “três dezenas de pessoas que têm conhecimento direto dos eventos ou que foram informados sobre eles, bem como documentos judiciais, registros corporativos e outros documentos”, relatou o jornal.

Cohen, que envolveu Trump quando assumiu a culpa nas oito acusações federais em agosto, se reuniu com investigadores do conselheiro especial Robert Mueller e com procuradores federais em Nova York, buscando fornecer informações que poderiam resultar em uma punição mais leve em sua sentença, que está marcada para 12 de dezembro. Ele disse aos federais que conversou com Trump nas semanas antes da eleição de 2016 sobre como pagar Daniels para manter o silêncio sobre as alegações dela: Um encontro sexual com Trump em uma partida de golfe de caridade, também em 2006.

Ele disse a eles que Trump insistia para que ele “fizesse isso” e que ele mesmo fez um pagamento de US$ 130 mil, pois Pecker recusou, e que o advogado foi posteriormente reembolsado com um bônus pela Trump Organization.

O WSJ informou que Trump estava envolvido ou foi informado sobre quase todas as etapas dos pagamentos, direcionando os negócios em telefonemas e reuniões com Cohen e outros indivíduos. O Presidente negou repetidamente ter relações com McDougal e Daniels, chamando-as de mentirosas. A princípio, ele disse que não sabia nada dos pagamentos antes de divulgar tardiamente que Cohen foi reembolsado pelo pagamento de Daniels em um formulário financeiro federal.

O envolvimento de Trump nos pagamentos, por si só, não significaria que ele seja culpado de crimes federais, explicou Richard Hasen, professor de Direito da Universidade da Califórnia, em Irvine, especializado em Direito Eleitoral, disse ao jornal. Uma condenação criminal exigiria a prova de que Trump ignorou deliberadamente as proibições legais de contribuições às empresas ou indivíduos em valores maiores que US$ 2.700, detalhou Hasen.

 

Related posts

Send this to a friend