Turista que levou tiro no rosto durante batida em NYC processa o ICE

Foto3 Erick Diaz Cruz  Turista que levou tiro no rosto durante batida em NYC processa o ICE
A bala atravessou uma das mãos de Erick Dias Cruz, de 26 anos, cruzou a bochecha esquerda e alojou-se atrás da orelha (Foto: arquivo pessoal)

Erick Diaz Cruz, de 26 anos, estava com a namorada visitando a família, quando se viu em meio a uma batida migratória

Um turista desarmado e baleado no rosto no início deste mês por um agente do Departamento de Imigração (ICE) durante uma caótica detenção no Brooklyn (NY), ainda tem a bala na cabeça. O detalhe foi citado no processo federal apresentado na quarta-feira (19) no Tribunal Federal do Brooklyn.

Erick Diaz Cruz foi atingido quando agentes da ICE tentavam deter o namorado da mãe dele no apartamento em Gravesend, de acordo com o processo apresentado por Cruz, que pede indenizações não divulgadas contra as autoridades migratórias.

Cruz, de 26 anos, natural do México e que visitava New York City, pensou que um dos agentes que estava pegando uma lata de spray de pimenta durante o incidente, na quinta-feira (6),  então, ele levantou a mão para proteger os olhos, de acordo com o processo. Entretanto, ele sentiu uma bala atravessar a palma da mão e acertá-lo na bochecha esquerda, alojando-se atrás da orelha, disseram documentos do tribunal.

Os agentes estavam no apartamento para prender o namorado da mãe dele, Gaspar Avenando Hernandez, um imigrante mexicano e que havia sido anteriormente deportado. O incidente na calçada rapidamente ficou fora de controle.

As autoridades agarraram Hernandez, de 33 anos, na casa dele em Gravesend, quando ele saía para o trabalho voltou para pegar algo deixado para trás. À medida que o confronto aumentava, Cruz e seu irmão saíram da casa para intervir. A mãe deles, Carmen Diaz, também estava em casa quando agentes do ICE foram prender o namorado dela. Ninguém no apartamento estava armado e os agentes do ICE estavam à paisana.

“Este não é apenas um ataque contra mim, mas também contra toda a comunidade latina nos Estados Unidos”, disse Erick através de um e-mail, divulgado por seu advogado. “Este é o momento certo para a nossa comunidade se unir para protestar e se proteger da violência da ICE”.

Horas antes de o processo ser aberto na quarta-feira (19), oficiais do Departamento de Segurança Interna (DHS) voltaram à casa de Hernandez com mais perguntas para a família, conforme fontes. Um advogado da família interveio e nenhuma pergunta foi feita.

Cruz, funcionário municipal em Vera Cruz, México, estava na cidade com a namorada visitando a família e observando a paisagem quando se viu no meio da batida migratória. Um porta-voz do ICE evitou comentar o assunto.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend