Operação contra pornografia infantil resulta em prisões no Brasil e EUA

%name Operação contra pornografia infantil resulta em prisões no Brasil e EUA
No exterior, também houve operação na Colômbia, EUA, Paraguai e Panamá, com a ajuda de agências de aplicação da lei (Foto: Polícia Civil)

Policiais civis cumpriram 112 mandados de busca e apreensão em 12 estados e 4 países

Na manhã de terça-feira (18), policiais civis de 12 estados deflagraram a 6ª fase da “Operação Luz na Infância”, que busca combater a pornografia infantil e a exploração sexual de crianças e adolescentes. A ação é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Na Operação, foram cumpridos 112 mandados de busca e apreensão de arquivos com conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes. No total, 579 policiais atuaram nas diligências. Até o começo da tarde naquele dia, ocorreram 38 prisões em flagrante.

A ação ocorreu simultaneamente nos estados de Alagoas, Acre, Ceará, Rio de Janeiro, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Santa Catarina. Também houve operação na Colômbia, nos Estados Unidos, Paraguai e Panamá, com a ajuda de agências de aplicação da lei.

O secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Luiz Pontel, ressaltou que o ambiente de internet permite a divulgação de material pornográfico que circula no mundo todo, o que eleva a preocupação das autoridades para que a investigação alcance todas as ramificações.

“No momento das buscas, acaba-se recolhendo mais material, que vai ser objetivo de análise e, muito provavelmente, ampliará o leque de investigação e de pessoas envolvidas, muitas delas acima de qualquer suspeita, mas que tinham em seus computadores material de exploração sexual contra crianças e adolescentes”, ressaltou Pontel.

No Brasil, é crime armazenar, produzir e compartilhar esse tipo de conteúdo. A pena para armazenamento varia de 1 a 4 anos de prisão, de 3 a 6 anos pelo compartilhamento e de 4 a 8 anos de prisão pela produção de conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual.

Números de presos na operação ocorrida no Brasil: São Paulo (14), Santa Catarina (9), Paraná (6), Mato Grosso do Sul (4), Ceará (2), Rio Grande do Sul (1), Mato Grosso (1) e Goiás (1).

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend