Murphy pode reverter abertura de praias, se surto aumentar

Phil Murphy 1 Murphy pode reverter abertura de praias, se surto aumentar
“Não teremos escolha”, disse o Governador Phil Murphy

O Governador acrescentou que seria forçado a “recuar” se os casos aumentarem novamente em New Jersey

Na noite de quinta-feira (14), o Governador Phil Murphy disse que está dando um “grande passo” ao permitir que as praias de New Jersey sejam abertas neste verão, com restrições, pois os sinais continuam mostrando que a pandemia de coronavírus está diminuindo no estado. Entretanto, durante entrevista ao canal CNN, ele acrescentou que seria forçado a “recuar” se os casos aumentarem novamente depois que as pessoas começarem a se reunir em massa no litoral do estado.

“Não teremos escolha”, disse ele.

E isso, Murphy acrescentou, serve para qualquer um dos “pequenos passos” que o estado está dando quando começa a diminuir lenta e gradualmente as restrições que o Governador implantou nos últimos 2 meses para combater o vírus.

“As curvas que importam… elas estão indo na direção certa”, disse o Governador. “Entretanto, ainda não estamos fora de perigo”.

“Estamos fazendo isso em etapas e tentando monitorá-las de forma incremental”, acrescentou. “E se tivermos que pisar no freio, faremos isso”.

New Jersey, um estado densamente povoado, com 9 milhões de habitantes, é um dos focos do vírus nos EUA, com autoridades relatando pelo menos 9.946 mortes no total e 142,70 casos desde o início do surto em 4 de março. Somente Nova York tem mais mortes e casos entre os 50 estados. Entretanto, as autoridades informaram que o número diário de novas mortes, casos e hospitalizações do estado caiu significativamente nas últimas semanas.

Murphy permitiu que parques e campos de golfe reabrissem com restrições. Na quarta-feira (13), ele assinou uma ordem que permitia que empresas de varejo não essenciais reabrissem apenas para retirada de produtos na calçada e que a construção não essencial fosse retomada a partir da manhã de segunda-feira (18), além de permitir a operação de atrações de drive-in e drive-through. E na quinta-feira (14), ele assinou uma ordem executiva dizendo que praias, calçadões e lagos podem ser abertos neste verão, desde que sigam as regras e diretrizes de distanciamento físico.

Entra em vigor na sexta-feira (22), no fim de semana do feriado de Memorial Day, o início não oficial da temporada de verão, a abertura das praias. Isso poderia causar uma injeção de ânimo para a economia do estado, desde o início da pandemia. Murphy deixou para os líderes locais decidirem como limitar o número de pessoas nas praias e como fazer cumprir as regras. E, embora o estado não a imponha, as autoridades recomendam “fortemente” que as pessoas usem uma cobertura de rosto.

“Não queremos implantar algo que não podemos aplicar ao máximo”, explicou Murphy.
O Governador também disse que pode anunciar outras medidas nos próximos dias, incluindo orientações sobre como as cirurgias eletivas podem ser retomadas, como as piscinas e a pesca privada podem operar à medida que o Memorial Day se aproxima e como as eleições primárias de 7 de julho se desenrolem.

Quase 1,1 milhão de residentes de New Jersey solicitaram o seguro-desemprego desde o início da quarentena, em meados de março, e muitos dizem que estão esperando há semanas para serem pagos e lutaram com os sistemas de telefone ocupado e online do Estado.
Em uma entrevista separada na quinta-feira à noite (14), com Martha MacCallum, do canal Fox News, Murphy foi perguntado por que sua ordem de quarentena ainda está em vigor, apesar de a curva de casos e hospitalizações terem diminuído.

“Nunca nos disseram que teríamos que ficar em casa até que houvesse uma vacina”, MacCallum perguntou a ele.

“Nunca dissemos que você precisa ficar em casa até que haja uma vacina”, rebateu Murphy, enfatizando que New Jersey ainda está sofrendo mais mortes, casos e hospitalizações per capita do que os outros 50 estados. “É um ato de equilíbrio”, acrescentou o governador. “Estamos tentando dar devagar, com responsabilidade, um passo de cada vez, para reabrir o estado”.

Ele também foi perguntado suas decisões eram “muito draconianas”, considerando o impacto econômico no estado.

“Eu diria que não”, respondeu Murphy, argumentando que o dano seria pior se o vírus pudesse se espalhar livremente. “Acreditamos profundamente que a saúde pública cria a saúde econômica”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend