Imigrante consegue green card através de filhos militares

Foto14 Imelda Castillo Hernandez Imigrante consegue green card através de filhos militares
Imelda Castillo Hernandez poderá rever os parentes depois de 26 anos nos EUA (Foto: NY1)

Em 2013, o USCIS emitiu a diretriz afirmando que os indocumentados que são pais de militares na ativa podem aplicar para a residência permanente

Apesar de dois filhos dela se alistarem para defender os EUA, mesmo assim Imelda Castillo Hernandez, moradora em Staten Island (NY), mãe de 5 filhos, ainda se sentia insegura. Na quinta-feira (9), ela se tornou residente legal permanente (green card), pondo fim no medo de muitos anos de que poderia ser deportada.

Hernandez, de 46 anos, deixou a região de Puebla, na Cidade do México, em 1991 quando tinha somente 18 anos. Ela juntou-se aos pais em busca de uma vida melhor nos EUA. Embora tenha cruzado clandestinamente a fronteira, ela não foi detida, não possui antecedentes criminais e nunca recebeu ordem de deportação, detalhou o advogado César Vargas.

“O México estava enfrentando uma crise econômica severa, além dos índices altos de pobreza e criminalidade”, escreveu a Sargento Keila Nayeli Manchester, filha de Imelda, ao Departamento de Cidadania & Serviços Migratórios (USCIS).

Imigrantes que entraram clandestinamente nos EUA e buscam a legalização devem retornar aos seus países de origem, conseguir um visto, reentrar legalmente e aplicar para o green card. Entretanto, o fato de terem ficado de forma irregular nos EUA pode impedir o retorno ao país. Para evitar tal problema, Keila teve que escrever uma carta ao USCIS detalhando os riscos que a mãe dela enfrentaria se retornasse ao México.

Em 2013, ainda na administração Obama, o USCIS emitiu a diretriz afirmando que os imigrantes indocumentados que são pais de militares na ativa podem aplicar para a residência permanente. “Caso ela fosse deportada ou obrigada a ir embora, a ausência dela me forçaria a deixar as minhas obrigações militares e separaria a minha própria família”, escreveu Keila, de 25 anos, que está lotada em Hinesville (GA). “Eu tenho receio que o meu próprio governo, ao invés de um inimigo estrangeiro, possa separar a minha linda família”.

Hernandez aplicou para o green card na mesma época em que Donald Trump conquistou a nomeação republicana, temerosa de que ele cumprisse a promessa de campanha de combater a imigração clandestina e limitar a imigração legal.

“Eu poderei abraçar os meus parentes pela primeira vez em 26 anos”, celebrou Hernandez.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend