Hackers pedem US$ 42 milhões para não divulgar “podres” de Trump

Donald Trump 002 Hackers pedem US$ 42 milhões para não divulgar podres de Trump
A quantia dobrou para US$ 42 milhões, já que os hackers agora ameaçam revelar “roupa suja” do Presidente Donald Trump em apenas uma semana

O grupo de hackers “REvil” entrou no servidor do escritório de advocacia Grubman, Shire, Meiselas e Sacks e roubou 756 gigabytes de documentos confidenciais

A extorsão pelos arquivos secretos de um advogado renomado dobrou para US$ 42 milhões, já que os hackers agora ameaçam revelar “roupa suja” do Presidente Donald Trump em apenas uma semana, se não forem pagos integralmente.  Allen Grubman; o advogado de entretenimento mais proeminente do mundo, cuja empresa representa estrelas como Lady Gaga, Madonna, Mariah Carey, U2, Bruce Springsteen, Priyanka Chopra e Bette Midler, teve seus arquivos invadidos por hackers que atacaram seu escritório em Nova York. Eles exigiram o pagamento de US$ 21 milhões para que os dados não sejam divulgados, até sext-feira (15).

O grupo de hackers “REvil” entrou no servidor da empresa e roubou 756 gigabytes de documentos confidenciais, incluindo contratos e e-mails pessoais de uma série de estrelas de Hollywood e da música. Eles também excluíram ou criptografaram os backups da empresa. A única maneira de descriptografar é pagar aos criminosos pela senha.

Grubman se recusa a negociar. Uma fonte disse: “A opinião dele é que, se ele pagar, os hackers poderão liberar os documentos de qualquer maneira. Além disso, o FBI declarou que isso é considerado um ato de terrorismo internacional e não negociamos com terroristas”.

Na quinta-feira (15), os hackers dobraram o valor através de uma mensagem: “O resgate agora dobrou para US$ 42.000.000. A próxima pessoa que publicaremos é Donald Trump. Há uma eleição em andamento e encontramos uma tonelada de roupa suja a tempo”.

Eles acrescentaram: “Sr. Trump, se você quer permanecer presidente, pressione o pessoal, caso contrário você pode esquecer essa ambição para sempre. E para vocês, eleitores, podemos informar que, após essa publicação, você certamente não o verá mais como Presidente. O prazo é de uma semana”.

“Grubman, destruiremos sua empresa, se não virmos o dinheiro”, acrescentou.

Não está claro por que os hackers conectaram Trump a Grubman. O Presidente nunca foi cliente do escritório do advogado, seja como empresário particular ou durante sua administração. Na quinta-feira (14), os hackers alegaram ter invadido outra importante empresa norte-americana e também postaram um arquivo de documentos roubados intitulado “Lady Gaga” em seu site na dark web.

O escritório de advocacia de Grubman, Grubman, Shire, Meiselas e Sacks, disse em comunicado: “Nossas eleições, nosso governo e nossas informações pessoais estão sob ataques crescentes de cibercriminosos estrangeiros. Os escritórios de advocacia não estão imunes a essa atividade maliciosa.

“Apesar de nosso investimento substancial em segurança de tecnologia de ponta, os ciberterroristas estrangeiros invadiram nossa rede e estão exigindo US$ 42 milhões em resgate. Estamos trabalhando diretamente com as autoridades federais e continuamos trabalhando ininterruptamente com os principais especialistas do mundo para resolver essa situação”, acrescentou. “Fomos informados pelos especialistas e pelo FBI que negociar ou pagar resgate a terroristas é uma violação da lei criminal federal. Mesmo quando quantias enormes são pagas, os criminosos geralmente vazam os documentos de qualquer maneira.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend