Governo cria serviço de assistência a brasileiros afetados pelo coronavírus no exterior

Foto18 Consulado Geral do Brasil em NY scaled 1 Governo cria serviço de assistência a brasileiros afetados pelo coronavírus no exterior
Na América do Norte, Central e Caribe os brasileiros podem acessar o número: + 55 (61) 9826 00 610

Os dados reunidos serão utilizados na busca de soluções para todos os brasileiros atualmente impedidos de retornar ao Brasil

Foi criado, no Ministério das Relações Exteriores, Gabinete Consular de Crise para assistência a viajantes brasileiros afetados pela pandemia do novo coronavírus no exterior. Os dados reunidos serão utilizados na busca de soluções para todos os brasileiros atualmente impedidos de retornar ao Brasil. Para informações específicas, não deixe de verificar a página eletrônica da repartição consular brasileira mais próxima. O formulário pode ser acessado através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScNWoyWrm0VumlkvRVFhjcOUbyAmpAs1gaG1oRx0A91ekeVsw/viewform

Em 28 de janeiro, o Consulado Geral do Brasil em Nova York publicou em seu website (http://novayork.itamaraty.gov.br/pt-br/) um boletim informativo sobre o coronavírus (2019-nCoV). O boletim contém informações gerais sobre a situação epidemiológica no Brasil e no mundo, bem como sobre o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV), a ser aplicado em caso de surto da doença em território brasileiro. Inclui, também, um Guia de Vigilância Epidemiológica e de Vigilância Laboratorial. Outros boletins serão divulgados regularmente, no intuito de atualizar as informações, e poderão ser acessados por meio do website http://saude.gov.br/saude-de-a-z/novocoronavirus.

Se você é idoso, talvez esteja assustado com as últimas notícias sobre o coronavírus. Elas informam que mais da metade das vítimas dessa infecção tem mais de 50 anos de idade e diagnóstico de alguma doença crônica.

O novo vírus, que ataca o sistema respiratório, teve seu ponto de partida na região de Wuhan, na China, deixando o mundo todo em alerta. Apelidado pelos cientistas de 2019-nCoV, ele pertence à família dos coronavírus, um grupo que reúne desde agentes infecciosos que provocam sintomas de resfriado até outros com manifestações mais graves, como os causadores da SARS (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

De acordo com um artigo publicado pelo jornal The New York Times, o maior índice de mortalidade foi entre os idosos. Em média, os afetados teriam 75 anos de idade.


. Porque os idosos são mais suscetíveis ao coronavírus?

Um motivo importante é a imunossenescência. Trata-se de um processo natural do envelhecimento, que diminui a capacidade do sistema imunológico. Como resultado, aumenta de modo geral a incidência de doenças infectocontagiosas em idosos. Isso vale para o coronavírus, para a gripe e por aí vai. Quando os idosos apresentam comorbidades (a exemplo de diabetes, cardiopatia e doenças pulmonares como o DPOC), o risco de infecção e complicações sobe ainda mais.


. Como se prevenir da infecção:

Há medidas simples e eficazes: Cuide bem da saúde, mantenha-se hidratado, lave com maior frequência as mãos e evite o contato com pessoas vindas de áreas com casos confirmados da doença. Ainda não existe uma vacina disponível que reduza o risco de infecção por coronavírus. Na verdade, ao se proteger de outras infecções, você mantém o organismo mais forte para conter os avanços desse novo inimigo. Fora que a vacinação reduz o risco de confundir o coronavírus com influenza, o causador da gripe, por exemplo.

Também estão disponíveis os seguintes números telefônicos para assistência aos brasileiros, divididos em regiões geográficas:

. América do Sul: +55 (61) 9826 00 767
. América do Norte, Central e Caribe: + 55 (61) 9826 00 610
. Europa: + 55 (61) 9826 00 787
. África e Oriente Médio: + 55 (61) 9826 00 568
. Ásia e Oceania: + 55  (61) 9826 00 613

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend