Coronavírus: Escolas públicas de NJ podem fechar em caso de epidemia

Foto13 Sala de aula Coronavírus: Escolas públicas de NJ podem fechar em caso de epidemia
New Jersey já permite ensino à distância e online em determinadas circunstâncias, incluindo quando as pessoas têm problemas de saúde temporários ou crônicos

A diretriz permite que as escolas mantenham os alunos em casa sem a necessidade de agendar dias de compensação no final do ano letivo

New Jersey alertou todas as escolas públicas no estado para planejar o fechamento de prédios devido à possibilidade de epidemia por coronavírus. As autoridades anunciaram que o Estado considerará o “estudo caseiro” no calendário letivo obrigatório de 180 dias anuais, caso os distritos escolares sejam obrigados a fechar instalações por questões de saúde pública.

Na quinta-feira (5), o Estado informou através de um e-mail os superintendentes que o ensino à distância pode incluir aulas online ou outros meios desenvolvidos pelos distritos para suprir as necessidades de seus estudantes. Cada distrito escolar deverá criar um plano que ofereça instrução igualitária, incluindo educação especial apropriada, conforme o memorando. Esses planos devem ser enviados aos superintendentes dos condados.

A diretriz permite que as escolas mantenham os alunos em casa sem a necessidade de agendar dias de compensação no final do ano letivo. Entretanto, ela cria uma gama de dúvidas de cunho logístico, pois os fechamentos podem durar desde vários dias até semanas de ensino à distância, algo nunca feito antes.

“Nós estaríamos em terreno desconhecido”, disse Steve Baker, porta-voz da New Jersey Education Association (NJEA), o maior sindicato de professores do estado.

Ainda não é certo quantas escolas estariam equipadas para prover educação à distância. Nem todos os alunos têm acesso fácil à internet em casa e nem todas as escolas possuem equipamentos suficientes para enviar aos lares dos estudantes. Os legisladores estaduais têm pressionado o Departamento Estadual de Educação para guiar as escolas, demonstrando receio de que o calendário escolar mínimo de 180 dias não seja cumprido.

“Caso tenhamos a habilidade de limitar o risco de nossas crianças e seus professores, enquanto eles dão continuidade ao processo educacional, isso é algo inteligente a fazer”, disse o líder da minoria no Senado, Tom Kean Jr. (R-Union).

New Jersey já permite ensino à distância e online em determinadas circunstâncias, incluindo quando as pessoas têm problemas de saúde temporários ou crônicos, conforme o Estado. Entretanto, essas regras não foram criadas para serem aplicadas em todos os distritos escolares. Algumas escolas experimentaram educação online no caso de condições climáticas extremas, embora o Estado não leve em consideração no calendário escolar obrigatório de 180 dias anuais, ao menos que os professores estejam nas escolas e as instalações abertas.

Baker considerou o ensino à distância e online para distritos inteiros “bastante distante do ideal”, embora seja fundamental que os estudantes continuem aprendendo. O NJEA preocupa-se com a possibilidade de os alunos que não possuem acesso à internet não tenham o mesmo aproveitamento no ensino em casa, disse ele.

“Nós encorajamos os distritos e o Departamento de Educação de New Jersey a fazer todo o possível para garantir que nenhum estudante tenha negado o direito deles à educação pública porque não têm acesso à intenet”, concluiu Baker.

Related posts

Comentários

Send this to a friend