Brasileiro em Danbury (CT) faz campanha para irmão diagnosticado com “ELA”

%name Brasileiro em Danbury (CT) faz campanha para irmão diagnosticado com “ELA”
Atualmente, Gilvani Constâncio não tem mais movimentos nos ombros, braços, mãos ou dedos (Foto: GoFundMe.com)

O capixaba Gilvani Constâncio sofre de “Esclerose Lateral Amiotrófica”, uma doença que afeta o sistema nervoso de forma degenerativa e progressiva

Em 2017, Gilvani Constâncio, natural de Linhares (ES), começou a sentir dores musculares e exames médicos revelaram que ele sofria de “ELA” ou Esclerose Lateral Amiotrófica, uma doença que afeta o sistema nervoso de forma degenerativa e progressiva e acarreta em paralisia motora irreversível. Pacientes com a doença sofrem paralisia gradual e morte precoce como resultado da perda de capacidades cruciais, como falar, movimentar, engolir e até mesmo respirar.  Não há cura para a ELA. Com o tempo, as pessoas com a doença perdem progressivamente a capacidade funcional e de cuidar de si mesmas. O óbito, em geral, ocorre entre três e cinco anos após o diagnóstico. Aproximadamente, 25% dos pacientes sobrevivem por mais de cinco anos depois do diagnóstico.

Na luta contra a doença, o irmão de Gilvani, Evandro Constâncio, morador em Danbury (CT), iniciou no website GoFundMe.com a campanha beneficente: https://www.gofundme.com/f/gilvani-als-ela, cujo objetivo é angariar US$ 40 mil. O dinheiro arrecadado permitirá que Gilvani seja submetido à nova pesquisa chamada “Túnel Térmico do Cérebro” (BTT), que está sendo testada contra doenças neuro-degenerativas, como a ELA. A pesquisa fez parte de um documentário sobre o médico e pesquisador das renomadas universidades de Harvard e Yale, o médico brasileiro Marc Abreu. Até a manhã de sábado (23), haviam sido arrecadados US$ 3.640.

“Hoje, o Gilvani não tem mais movimentos nos ombros, braços, mãos ou dedos. Recentemente, ele também desenvolveu fraqueza nos membros inferiores e dificuldade na fala. Ele não pode mais trabalhar, não pode mais passear pelo bairro, não consegue mais executar tarefas diárias simples por conta própria. No entanto, sua fé lhe trouxe esperança. Um dia, enquanto assistia TV, deparou com um documentário sobre um médico e pesquisador das renomadas universidades de Harvard e Yale, Dr. Marc Abreu.

Este médico havia descoberto uma nova tecnologia que transformaria o mundo médico como o conhecemos. Esta nova pesquisa chamada Túnel Térmico do Cérebro (BTT) está sendo testada contra doenças neuro degenerativas, como a ELA. Gilvani viu com seus próprios olhos dois pacientes americanos melhorando depois de receber esse tratamento do Dr. Abreu. Para completar essa descoberta incrível e para a surpresa e alegria de meu irmão, o Dr. Abreu é um brasileiro que fala a mesma língua!

Após várias tentativas, conseguimos entrar em contato com a equipe do Dr. Abreu em Westport, CT, nos Estados Unidos. Em 5 de novembro de 2019, o Dr. Abreu fez uma avaliação extensa por meio de uma videoconferência e Gilvani foi considerado elegível para começar imediatamente a participar desse tratamento do túnel térmico. O custo deste tratamento é de US$ 36.145. É feito na clínica do Dr. Abreu em Westport, Ct. O Gilvani precisa vir para os Estados Unidos com sua esposa, que o ajuda com suas limitações físicas o tempo todo. A diferença de custo entre o valor do tratamento e a quantidade que solicitamos será usada para ajudar Gilvani e sua esposa a viajarem para os Estados Unidos para tratamento”, postou Evandro no GoFundMe.com.

 

Related posts

Send this to a friend