Aviões circulam com voos cheios durante surto de coronavírus

Voo lotado Aviões circulam com voos cheios durante surto de coronavírus
As companhias aéreas insistem que estão tentando aproveitar ao máximo o espaço

A pandemia cancelou 90% dos voos de passageiros dos EUA, de modo que as companhias aéreas estão tentando vender o máximo de passagens possíveis 

Apesar das diretrizes atuais de combate à pandemia de coronavírus e de distanciamento social que aconselham as pessoas a se manterem distantes 1.80 metro das outras, continuam a surgir relatos de passageiros em vôos lotados. Apenas nesta semana, os passageiros de um voo da Iberian Airlines ficaram furiosos com o voo lotado, 70% da capacidade ocupada, apesar das diretrizes da companhia determinarem o limite de 50%.

O surto de coronavírus cancelou 90% dos voos de passageiros dos EUA, de modo que as companhias aéreas estão tentando vender o máximo de passagens possíveis nos poucos vôos que restam, detalharam especialistas.

“As companhias aéreas estão ‘queimando’ dinheiro numa velocidade muito rápida, portanto, farão isso de acordo com os planos de negócios existentes até o verão”, disse Robert Mann, da R.W. Mann & Company, empresa líder em análise do setor de companhias aéreas com sede em Port Washington.

“Realmente, não há demanda no momento, por uma questão prática. Não há demanda econômica, ou seja, não há demanda a um preço em que as companhias aéreas possam ganhar dinheiro”, acrescentou.

Ainda assim, os vídeos virais provavelmente vêm de pessoas nos voos mais baratos, detalhou Mann. “Os vídeos que viralizam são aqueles casos de pessoas aventureiras que compraram uma passagem por US$ 49 esperando estar em um avião vazio”, disse ele.

As companhias aéreas insistem que estão tentando aproveitar ao máximo o espaço. Em comunicado, a United Airlines disse que a grande maioria de seus vôos restantes está com menos da metade da capacidade, mas admitiu que “como nossa programação é muito reduzida, há um número menor de vôos, portanto, os nossos clientes estão encontrando aviões mais cheios do que esperavam”.

A Southwest Airlines, que tem uma política de assentos abertos, disse que reduziu o número de assentos reservados em um terço, enquanto funcionários da JetBlue disseram que a companhia aérea “está limitando a maioria de seus vôos, a fim de proporcionar algum nível de distanciamento a bordo sempre que possível”.

A American Airlines disse que “não ocupará” metade dos assentos nos aviões da empresa e permitirá que os passageiros mudem de assento “desde que não haja restrições de peso ou equilíbrio da aeronave”.

. Voar ainda é seguro?

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) afirmam que vírus e germes não se espalham tão facilmente nos vôos “por causa da forma como o ar circula e é filtrado nos aviões”.

“No entanto”, alerta a agência, “pode haver o risco de levar o COVID-19 em voos lotados se houver outros viajantes infectados a bordo”.

Segundo um especialista, nenhuma medida preventiva pode realmente garantir o distanciamento social adequado durante o vôo. “Não há espaço em um avião em que você tenha um metro e oitenta de distância entre você e outra pessoa”, disse Anthony Santella, professor associado de saúde pública na Universidade Hofstra.

“Não há como escapar e manter o distanciamento físico em um avião. Mesmo em um vôo com um terço ou meio de passageiros, onde todo mundo está usando máscaras, ainda existem riscos, disse ele.

“Pense bem: As consequências de estar perto de pessoas e superfícies altamente tocadas por um longo período de tempo”, acrescentou Santella.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend