Artista brasileira presta tributo a  George Floyd

Naza McFarren Artista brasileira presta tributo a  George Floyd
Motivada pelo incidente, a artista Naza McFarren, residente em Hollywood (FL), prestou tributo a George Floyd
George Floyd .png scaled Artista brasileira presta tributo a  George Floyd
George Floyd, de 46 anos, morreu após ter sido preso pela polícia em frente a uma loja em Minneapolis, Minnesota

A morte do afro-americano George Floyd gerou uma onda de protestos violentos e saques em vários estados no país 

Motivada pela morte brutal do afro-americano George Floyd, quando era detido pela polícia em Minnesota, a artista plástica Naza McFarren, residente em Hollywood (FL), criou um portrait em homenagem à vítima. A brasileira está radicada há mais de 40 anos nos EUA e seus trabalhos já foram expostos em diversas galerias de arte no país.

“Realmente, foi algo chocante, eu acompanhei através das redes sociais. É indescritível o que a gente vê. Eu fico pensando nos pais dele. Por mais que ele tivesse cometido um crime, assaltado um banco, não deveria ter pago com a vida”, disse Naza.

Em entrevista à equipe de reportagem do BV, na segunda-feira (1), ela adiantou que planeja doar a obra à alguma ONG, como a Martin Luther King Foundation, a qual já possui um trabalho dela, ou a Amnesty International, ambas sediadas em Washington (DC). A princípio, a artista cogitou doar o trabalho aos pais da vítima, mas mudou de ideia devido a dor imensa supostamente sentida por eles. Naza detalhou que a obra foi feita digitalmente, dando o efeito de óleo sobre tela, tendo como base uma fotografia de George Floyd divulgada nas redes sociais.

Floyd, de 46 anos, morreu após ter sido preso pela polícia em frente a uma loja em Minneapolis, Minnesota. Imagens da prisão em 25 de maio mostram um policial branco, Derek Chauvin, ajoelhado no pescoço dele enquanto ele estava algemado e deitado no asfalto da rua em frente ao estabelecimento. Chauvin, de 44 anos, foi acusado de assassinato em 3º grau. O incidente foi filmado por câmeras de segurança e telefones celulares de testemunhas, que pediram ao policial que tirasse o joelho do pescoço de Floyd, que já não oferecia resistência.

Os principais eventos que levaram à morte de Floyd ocorreram em apenas 30 minutos. Com base em relatos de testemunhas, vídeos e declarações oficiais, tudo começou com a denúncia de uma nota falsa de US$ 20. O caso ocorreu na noite de 25 de maio, quando Floyd comprou um maço de cigarros na Cup Foods, uma mercearia. Acreditando que a nota de 20 dólares que ele apresentou podia ser falsificada, um funcionário da loja o denunciou à polícia. Ele trabalhou recentemente como segurança na cidade, mas, como milhões de outros norte-americanos, ficou sem emprego devido a pandemia de coronavírus.


. Sobre a artista:

À medida que a tecnologia avança e se adapta para apoiar um modo de vida “Novo Normal”, o mesmo ocorre com a mídia por meio da qual criamos. A artista visual do Condado de Broward, Naza, mesclou arte e ciência, alavancando suas crescentes habilidades de mídia digital com seu portfólio de longa data de Realismo Abstrato.

O trabalho é criado como um arquivo digital. No entanto, quando transferido para a tela, torna-se uma peça única. Mais do que apenas uma reprodução impressa de um ativo virtual, Naza adapta sua textura e embelezamento de forma distinta, dando qualidade realista e original às obras de arte. As opções de superfície não se limitam à tela; outras transferências podem incluir aço, madeira e outras superfícies duras. Somente materiais da mais alta qualidade são utilizados para proteger contra a idade e garantir a longevidade da obra.

Artista com formação clássica e criadora digital por necessidade, Naza levou mais de 15 anos aprendendo a tecnologia necessária para adaptar suas habilidades a esse novo meio e imbuí-lo com o valor e estilo estéticos pelos quais ela é conhecida. A maioria das obras de arte começa com uma fotografia. Nenhum efeito especial ou automação de software é usado. Tudo é feito como se ela estivesse pintando a óleo, como faz há mais de 40 anos; mas com um cursor no computador. As emoções ainda são seu principal tema. O mouse, seu pincel. O monitor, sua tela temporária.

A quarentena durante a pandemia de Covid-19 a inspirou a criar várias obras de arte em movimento sob esse tema. Naza exibiu seus trabalhos em museus e galerias no Brasil, EUA, Espanha, França, Canadá e Panamá. Ela ganhou vários prêmios e tem sua arte em muitas coleções importantes, incluindo os ex-presidentes Barack Obama e Bill Clinton, Ivana Trump e Brigitte Bardot. Mais informações sobre a artista: www.naza.com

 

Related posts

Send this to a friend